Para o Alto e Avante

1 04 2009

Já se passaram 37 dias desde o início da jornada, e agora é hora de levantar acampamento. Durante todos esses dias tive ótimos momentos em Cape Town, especialmente na companhia de minha irmãzinha que amo muito e meu cunhado, e com saudades certamente ficaremos todos.

Para me despedir da cidade, nada melhor que mais uma volta pela cidade, a bordo do ônibus, na primeira rota, com os principais pontos turísticos, incluindo uma subida na Table Mountain de bondinho, o cableway. No topo e na paz do platô, uma vista completa de toda a cidade, em todas as direções. Vistas incríveis, acima das nuvens, com algumas rajadas de ventos. O mínimo para compensar a volta de balão que não pude fazer, por falta de agenda. Do alto da montanha, com vistas para o mar no infinito, é nítida a impressão de que, de fato, a terra é redonda. Coitado do Galileu, que se f……

Ao final do dia, para o último jantar (e digo que até agora a minha última refeição decente) de despedida, fomos ao um restaurante para uma boa carne de avestruz. Mais alguns amigos da minha irmã compareceram, na verdade, inclusive algumas pessoas famosas por serem tão comentadas, e que só conheci no último dia. Novamente, pessoas interessantes, comunicativas e engraçadas. Mais uma vez obrigado a todos pelos votos de boa sorte na minha viagem.

Após uma total correria na manhã seguinte, arrumando malas e organizando a bagunça, “já está chegando a hora de ir, de me despedir e dizer, que em qualquer lugar por onde eu andar vou lembrar de vocês”.

Agora é alçar vôo rumo ao novíssimo mundo, a Oceania. Próxima parada: Sydney, Austrália.

Boa viagem!!





Loucos pela Magrela III – O Confronto Final

30 03 2009

Como todo bom filme de aventura e ação, essa história de bicicleta precisava virar uma trilogia. Pois bem, chegou a hora de mostrar o final da épica aventura em cima de duas rodas, ou quatro, considerando que eram duplas.

No sábado seguinte, após um longo trânsito pela estrada, e alguns atalhos, com minha irmã e navegadora, conseguimos chegar a Lourensford, para o estágio final da Cape Epic. Estrategicamente posicionados na linha de chegada, conseguimos ver alguns brasileiros cruzarem a linha de chegada, mas os profissionais já haviam terminado a prova há horas. Juntamente conosco, mas do lado de dentro da pista, estava Renata Falzoni, da ESPN Brasil, muito gente boa, e outro cara da Sportv / Globo, que, aliás, para o qual gritei assim que o vi: “Filma nóis Galvão”. O cara obviamente deu risada e veio conversar conosco.

Com quase uma hora para o horário limite de chegada, eis que chegam as tão esperadas meninas da Flower People, pelas quais esperavam o pessoal das emissoras, que ficaram famosas entre os demais participantes por uma certa dancinha que faziam ao cruzar a linha de chegada a cada dia, mas que eu não vi. E na rabeira, chega o Double Barrel, formado pelo meu cunhado e seu parceiro. Após uma longa semana, conseguiram concluir a prova, esta a verdadeira vitória, independente de qualquer posição, pois o difícil mesmo é concluir a prova e a “dor na bunda”.

Comemorações e premiações feitas, ficamos por ali para um lanchinho e algumas cervejas. Eu particularmente procurei pelo Boerewors, o cachorro quente dos sul-africanos, feito com carne bovina, sem purê claro, e com muita cebola. Os brasileiros, por sinal e como era de se esperar, juntaram-se todos, dominaram um das poucas grandes áreas de sombra, ao lado do palco e levantaram a bandeira do Brasil, a única bandeira que eu vi de qualquer país por lá.

No final do dia, já de volta a Cape Town, partimos para um jantar na casa do Les, parceiro do Johnny, com alguns amigos. Pessoal muito gente fina e interessante, todos sempre interessados no meu roteiro de viagem e desejando boa sorte. Obrigado a todos.

E para concluir, claro, “Well Done Boys”!!





Um grande pequeno rolê de busão

29 03 2009

Para começar a semana, após mais um a sessão de bicicletas, em plena feira no centro da cidade, enquanto minha irmã e eu deliciávamos um cappuccino e um muffin, eis que me chega um senhor que mais parecia um folião do carnaval no sambódromo, cheio de penas, cores e ovos na cabeça. Sim, ovos. Este é o próprio Eggman, como se auto-intitula, e já citado em alguns guias turísticos. Muito simpático, se ofereceu para uma foto em troca de uma pequena compensação, digamos, a título de cachê artístico. Olha essa figura.

Finalmente nessa semana consigo um bom dia para um volta de ônibus, não em qualquer um, mas a bordo do ônibus turístico chamado de “City Sightseeing Tour” que existe em algumas das principais cidades do mundo, incluindo comentários e dados históricos em diversas línguas, e pelo qual você pode saltar em diversos pontos turísticos no percurso e voltar à rota no próximo ônibus. Optei por uma rota alternativa, uma vez que a principal já havia feito na viagem anterior, e essa outra rota incluía algumas coisas interessantes que não tive a oportunidade de conhecer até então.

Primeiro ponto, Kirstenbosch, o jardim botânico aqui, no entorno do pé da Table Mountain, para uma pequena volta e belas paisagens em meio ao verde. Pausa para um cafezinho antes das fotos…

Próximo ponto, World of Birds, um aviário, considerado um santuário para as aves, mas para muito não passando de apenas uma gaiola gigante. Nesse passeio você faz diversas trilhas circulares, dentro das gaiolas, em meios aos diversos pássaros, desde uma galinha peluda ao pingüim, incluindo corujas e periquitos. Aqui também existem outros animais, como macacos, tartarugas, roedores, emas, avestruzes e, inclusive, o cervo famoso, o springbok, animal símbolo da África do Sul e nome da seleção nacional de rugby.

Ponto seguinte: the Township walk, um volta em meio a uma favela, guiada pelo líder da comunidade. Igualmente interessante, no passeio podemos ver pessoas locais vivendo suas vidas e trabalhando no local, entrar em algumas casas, visitar a igreja da comunidade, etc. Há alguns anos atrás, um grupo de 700 voluntários irlandeses construiu 100 casas em 12 dias. Não foi o suficiente para acabar com todos os barracos, mas certamente um grande feito.

Último ponto, a República de Hout Bay, uma região em uma das baías de Cape Town, conhecida pelo seu cai e belas vistas das montanhas, incluindo Chapman’s Peak. Pausa para um “almojanta”, com um belo Fish & Chips, ao lado de um monte de gaivotas famintas e irritantes. Infelizmente, devido aos horários dos ônibus, não pude conhecer mais do que o próprio cais.

Esse, de longe, foi um dos dias mais produtivos em questões turísticas aqui em Cape Town.

Bom, de resto, assim vou levando essa minha nada mole vida…

Estimas considerações a todos.





Loucos pela Magrela II – O Retorno

27 03 2009
Double Barrel

Double Barrel

Agora começou a segunda maratona dos ciclistas, a Absa Cape Epic, uma corrida de mountain bike, entre trilhas rochosas e muitas subidas e descidas. No sábado foi um prólogo pela Table Mountain, trecho curto de uma hora e meia, e onde fomos acompanhar o Johnny, meu cunhado, e seu parceiro e patrocinador, Les, que se saiu ralado já no primeiro dia. Na chegada, encontramos alguns brasileiros de Campos de Jordão e que também participam da corrida. No total, são 16 duplas brasileiras participando, a terceira ou quarta nação com maior número de equipes no evento, incluindo uma equipe feminina.

Sunset @ Villiersdorp

Sunset @ Villiersdorp

Depois de um café e almoço, entre minhas tarefas de doméstica, servi de motorista e fomos em direção a Villiersdorp. Após um braai (churrasco) e vinhos e cervejas, passamos a noite na casa onde eles ficaram por alguns dias para os primeiros trechos da corrida. A maioria dos ciclistas fica acampada, mas como sou um flashpacker, tive a sorte de que eles vão ficar alojados em casas. Esta fica num clube de golfe, ao lado de um lago enorme entre as montanhas. Ultimate chic. Na sede do clube, vários afrikkaners, fazendo um senhor braai, com 3 cordeiros inteiros.

Absa Cape Epic

Absa Cape Epic

 

No dia seguinte, ao cantar do galo, já estávamos em outra cidade, Gordon’s Bay, na False Bay, onde foi dada a largada no primeiro estágio, com mais de 100 km. Na largada encontrei uma equipe da ESPN Brasil que veio cobrir o evento. É possível acompanhar o evento, com vídeos e notícias, no blog da Renata Falzoni.

 

De volta a Cape Town, eu e minha irmã fomos dar uma volta no Cavendish Square, um shopping aqui perto, com direito a uma sessão de cinema para assistir ao tal do ganhador do Oscar, Slumdog Millionaire, filme no estilo Bollywood (Índia).

A corrida continua. Muitas duplas já desistiram ou foram eliminadas (incluindo brasileiros), e a dupla do Johnny continua no (final do) páreo. Mas tudo bem, ainda restam alguns dias para uma melhor colocação, e, afinal, ganhar ou perder, o importante é participar.

Good luck guys!!





Você conhece o Madiba?

25 03 2009

Saudações a todos! Continuo em Cape Town, na África do Sul, onde tudo está ótimo. Tenho feito diversas coisas, alguns passeios, mas tenho tentado levar uma vida local, fazendo coisas fora da rota turística básica, e uma vida de doméstica, lavando roupa, cozinhando, lavando louça, fazendo supermercado, consertando coisas… afinal, nem tudo é de graça e não é fácil conseguir uma boa hospedagem como a minha. Mas essa parada em Cape Town foi meio que estratégica, como uma preparação para o que vem pela frente, pela rota austral. E pra quem se pegou duvidando, sim, continuo treinando…

Universal Church of the Kingdom of God

Universal Church of the Kingdom of God

Bom, desde meu último post, tenho dado algumas voltas pela cidade, a pé mesmo, pelo centro, onde encontrei até a multinacional Igreja Universal do Reino de Deus, e pelo Waterfront, um píer muito interessante, com diversas opções de restaurantes, passeios, compras, shows abertos, fora a vista do cais e da Table Mountain. Aqui também fica o Clock Tower e o Gateway para Robben Island, um memorial sobre a história da ilha, hoje patrimônio da humanidade, e ponto de partida para as visitas guiadas. E foi pra lá que eu fui.

 

Prisão de Robben Island

Prisão de Robben Island

Após cruzar a praia em um ferry boat, comecei o passeio pela ilha em um ônibus, com guia local, que vai rodeando os principais pontos da ilha, que, por décadas, serviu de lugar para lunáticos, doentes, leprosos e criminosos. Na verdade a ilha foi usada por séculos para manter os excluídos da sociedade. A parada final é na conhecida prisão de segurança máxima de Robben Island, onde somos guiados por um ex-preso e conhecemos os principais alojamentos e selas, principalmente a do Madiba. Você o conhece?

Ele, um nobre da casta de Tembu e advogado por formação, foi acusado de traição e conspiração por cerca de 200 atos de sabotagem contra o regime da Apartheid, condenado à prisão perpétua, e ficou preso na ilha por muitos de seus 27 anos de prisão. Em Robben Island, com muitos outros presos políticos, ele continuou planejando ações políticas contra o regime. Porém, por força de campanha de sua congregação e pressão internacional, foi libertado. Após alguns anos foi premiado com o Nobel da Paz. Madiba, como a maioria aqui na África do Sul chama Nelson Mandela, foi o primeiro presidente negro e o primeiro eleito democraticamente no país. Hoje, com seus 90 anos, se retirou definitivamente da vida política.  

História à parte, o passeio à ilha é muito interessante, mas é bem rápido.

Stellenbosch

Stellenbosch

No fim de semana seguinte, dia de passeio em Stellenbosch, uma das cidades conhecidas por suas vinícolas na rota do vinho, nas Winelands, e, também, uma cidade universitária. Fomos atrás de uma feira livre, mas chegamos um pouco atrasados e perdemos (fora que o “guia” se perdeu na cidadela). Depois do almoço e por um passeio pelas ruas da cidade, voltamos a Cape Town, para outra oportunidade de assistir a mais um jogo de Rugby, com a mesma regalia e gratuidade de antes, sendo que dessa vez o time da casa, Stormers, ganhou.

 

Na semana seguinte (semana passada), antecedendo o outono, o tempo deu uma virada e fez um friozinho, mas que foi bom para me dedicar ao treino e a algumas tarefas pessoais que trouxe do Brasil e que estavam pendentes. Pois é, mesmo de férias, ainda encontro coisas para fazer e problemas para resolver. Mas tudo faz parte.

Vou ficando por aqui e em breve coloco mais um post sobre essa semana.

Ah, lembrando, quem quiser receber um cartão postal me envie o endereço por e-mail.

Beijos e abraços!!





Loucos pela magrela

13 03 2009

Nos últimos tempos Cape Town tem se desenvolvido fortemente no turismo, e a cidade tem diversos eventos, passeios, e outras coisas voltadas para turistas. E, assim como no Rio de Janeiro, o estilo de vida das pessoas que moram aqui é menos corrida e quase todos praticam algum esporte. A maioria faz um Cooper pela orla da praia, caminhadas pelas muitas trilhas nas montanhas que cercam a cidade, surfe, ou anda de bicicleta.

Cape Argus Pick 'n Pay Cycle Tour

Cape Argus Pick 'n Pay Cycle Tour

Bem, unindo o útil ao agradável, anualmente é realizado a Cape Argus Pick ‘n Pay Cycle Tour, uma maratona de bicicleta de 109 km, circundando todo o cabo, atualmente patrocinada por um dos jornais locais, o Cape Argus, e uma rede de supermercados, o Pick ‘n Pay (estilo um Carrefour Bairro), e que foi criada há uns 30 anos atrás, e, hoje, a maior maratona individual do mundo. O evento do mês de Março é exatamente a Cycle Tour, e, nesse ano participaram, pasmem, cerca de 35.000 pessoas, das quais metade são pessoas da região, e a outra metade, visitantes de outras cidades e países.

Nessa maratona tem de tudo: ciclistas profissionais, amadores, famílias, crianças, celebridades, e pessoas fantasiadas que fazem o show à parte. A cidade pára por conta do evento, que foi no domingo passado, e quem não está participando da corrida, está assistindo à corrida, ao vivo, torcendo por cada um que passa, com um ávido “WELL DONE!!”. Obviamente, minha atividade do dia foi assistir ao evento, pela TV durante as largadas, e ao vivo, na linha chegada, que foi aqui perto de casa. Fiz um vídeo com os trechos que gravei e algumas fotos. Veja aqui.

A corrida foi em parte prejudicada, em termos de resultados, pelo famoso Cape Doctor, uma ventania que toma conta da cidade, com ventos de até 100 km/h que é que capaz de te fazer voa se estiver de guarda-chuva. É chamado de Cape Doctor porque os ventos limpam o ar da cidade, e trazem dias ensolarados ao cabo. 

Matt Damon @ Cycle Tour

Matt Damon @ Cycle Tour

Como disse antes, participam também diversas celebridades e personalidades, e estrela desse ano foi ninguém mais ninguém menos que Matt Damon, esse aqui da foto. Matt Damon está na África do Sul para as filmagens do novo filme de Clint Eastwood, chamado “Human Factor”, baseado no livro de John Carlin intitulado “Playing the Enemy”, que fala sobre como Nelson Mandela (Morgan Freeman) e a vitória dos Springboks (nome da seleção sul-africana) na Copa do Mundo de Rúgbi de 1995, influenciaram na unificação no país, entre negros e brancos, após longos anos de Apartheid. Matt Damon fará o papel do jogador e capitão François Pienaar, o qual correu na maratona junto com Damon. Aliás, quase toda a equipe do set de filmagem, chamada de MaD, participou na maratona.

Jão lavando a magrela!

Jão lavando a magrela!

Voltando à corrida, como era de se esperar, meu cunhado participou da maratona. Ele vem treinando exaustivamente há uns três meses… “peralá”… mas não para essa maratona, para uma pior ainda, uma corrida de mountain bike, que vai durar 8 dias, a Cape Epic, a maior corrida de mountain bike do mundo, com 1.200 participantes, por 685 km, por trilhas rochosas na região do Western Cape, que inicia aqui na Table Mountain.

Agora me diga, esses caras são ou não são Loucos pela magrela?!

Bom, eu continuo aqui, muito bem e aproveitando, me preparando para a próxima viagem.

Cheers!!





De volta à Cidade do Cabo

5 03 2009

Após muitas delongas e percalços, eis que começo meu longo percurso (ou não tão longo assim) pela Rota Austral (hemisfério sul), com um “pequeno” adendo pelo Sudeste Asiático.  A idéia inicial e seguir viagem por 5 meses…

Minha primeira parada: Cape Town, a Cidade do Cabo, conhecido por nós brasileiros pelo famoso Cabo da Boa Esperança, assim batizado pelos portugueses quando avistaram o Cabo da Tormenta e por muitos avídos leitores de Os Lusíadas também conhecido como Gigante Adamastor, e pelo Cabo das Agulhas, extremo ponto ao sul da África, e que marca a divisão entre os oceanos Atlântico e Índico.

Como muitos sabem, estive aqui em Cape Town há cerca de 2 anos atrás, então umas pequenas férias do meu trabalho, acompanhado de um grande amigo e irmão, Fábio, o Dotô. Naquela época, viemos durante o inverno que, muito embora fossem dias ensolarados, era só vento, frio e algumas vezes chuva. Bem, agora é verão, e apesar de cientificamente o verão estar perto do fim, os capetonians dizem que estamos no pleno ápice do verão. Sorte a minha.

O verão em Cape Town transforma a cidade, radicalmente. A cidade fica repleta de turistas de todos os lugares do mundo. Muitas opções durante todo o dia e toda a noite. As pessoas estão visivelmente mais alegres e dispostas.

Para as boas vindas, um pequeno piquenique na praia, à noite, com alguns quitutes locais e bons vinhos sul-africanos (Pinotage e Shiraz), inclusive com um som de sax, no melhor estilo Lisa Simpson…

Antes mesmo de sair do Brasil, umas das minhas missões foi comprar Confetes e Serpentinas. Pois bem, explico: é época de carnaval, e, mensalmente, umas das amigas da minha irmã aqui em Cape Town, Carol (aka DJ Carioca), organiza uma pequena festa para os Brasileiros saudosistas, chamada Litlle Brazil in Cape Town, na qual se pode ouvir Samba, Axé, Pop Rock nacional, Funk, Forró e etc., e, exatamente dois dias após minha chegada, foi a edição especial de Carnaval.

DJ Dedeh @ Little Brazil in Cape Town

DJ DedeH @ Little Brazil in Cape Town

A festa foi bem legal, muitos brasileiros, mas muitos gringos também, e os confetes e serpentinas, bem, fizeram uma sujeira só, mas tudo em prol da alegria. Foram cerca de 400 pessoas, e uma delas, eu. Minha irmã e meu cunhado me largaram lá, e, após algumas horas, para relembrar os velhos tempos das domingueiras no Hortência, lá em 2001, tal que DJ Dedeh volta à ativa e assume as pick-ups no meio da festa, mixando Funk carioca (leia-se aquele não tão ruim assim de anos trás). Believe it or not, a galera curtiu muito!!

 

Vodacom Stormers (ZA) X Blues (NZ)

Vodacom Stormers (ZA) X Blues (NZ)

No dia seguinte, para ir a fundo na cultura sul-africana, meu cunhado nos levou para assistir ao jogo de Rugby, entre os Stormers (ZA) e Blues (NZ). Ganhamos ingressos free (cortesia de um amigo dele que conheci na última vez em que estive aqui) com direito a acesso a uma área restrita, com comes e bebes a vontade, inclusive cerveja, como a sul-africana Castel Larger, antes e após o jogo. Pouca sorte né? O jogo em si não foi tão bom assim como outros que já assisti, mas mesmo assim foi bem legal, ver a torcida gritando (em Afrikaans) em todo estádio, que fica bem atrás da Table Mountain (aquela dos cartões postais).

 Andre @ Eagleton's Fitness

Agora, me resta aproveitar esse bom momento em Cape Town, mais umas 3 semanas, antes de partir para minha próxima parada. Enquanto isso, vou caminhando por aqui, conhecendo novos lugares e fazendo novas atividades. Uma delas é me engajar no meu condicionamento físico, claro, com ajuda do meu personal trainner, na Eagleton Fitness. Chega de estresse, sedentarismo e cor de escritório…